domingo, 5 de outubro de 2014

Trajofobia

Trajofobia é algo que se tem visto muito por aí, no entanto, poucas pessoas devem conhecer o nome. Trajofobia é o medo/repulsa/terror (a lista poderia ser bem mais vasta) por pessoas que usam o traje académico (devido à elevada ocorrência do fenómeno, esta palavra está, brevemente, num dicionário perto de si).
Lembro-me perfeitamente que, desde muito nova, que via raparigas trajadas nas ruas, achava imensa piada e, um dos meus sonhos, passou mesmo a ser, um dia, também poder trajar. Felizmente consegui concretizar o meu sonho e, hoje, um dos meus maiores orgulhos é, realmente, poder vestir o traje académico. Por tudo o que ele simboliza para mim.
O traje é um direito académico. Uma tradição de há muitos anos. Qualquer pessoa que entre no ensino superior pode utilizá-lo, se assim o desejar. Mas, por tudo o que anda nas bocas do povo, por toda a m#$%& que uns se lembram de fazer, há sempre aqueles que levam por tabela sem terem culpa nenhuma. Sim, é verdade que o traje está, de alguma forma, ligado à praxe. Mas não só! Poder usar o traje académico deve ser um motivo de orgulho. Marca uma nova etapa na nossa vida e devemos orgulhar-nos disso!
Contudo, hoje em dia, qualquer portador de tal indumentária, é olhado de lado, como se fosse o animal mais raro e assustador do Zoo (e digo-vos que, se o olhar matasse, já tinha o pernil bem esticadinho), marginalizado por muitos, obrigado a ouvir comentários que não se deviam dizer a ninguém... E isto porquê? Porque vestimos algo que é nosso por direito? Há carros que aceleram quando tentamos atravessar as ruas, já ouvi falar de casos em que pessoas levaram uma tareia por estarem trajados! Sinceramente, isto muito triste.
Todos os dias se tenta lutar contra estereótipos, preconceitos estúpidos e agora, cá têm mais um.
É verdade que o caso do Meco foi grave, teve muito impacto na sociedade (especialmente devido à grande necessidade da comunicação social querer sempre ganhar mais audiências a todo o custo), foi algo bastante triste mas, na minha opinião, este caso, em nada estava relacionado com a praxe (pelo menos com a boa praxe que, felizmente, constitui uma maioria).
Será que estou condenada a viver numa sociedade que me faz ter "medo" de ter entrado numa das melhores etapas da minha vida? Quantas vezes mais é que terei de voltar a ouvir que deveria morrer afogada quando o meu único "erro" foi ter entrado na faculdade?
Sim, faço parte da praxe. Sim, tenho orgulho em dizer isto.
Sim, continuarei a usar o meu traje com o maior orgulho! Continuarei a usá-lo sempre que me apetecer porque é meu, e o mereço.
"O pior cego é aquele que não quer ver" e o nosso problema é que temos pessoas que não sabem do que falam, cheias de certezas. "A pior miopia é daqueles que enxergam mas não querem ver a verdade".

















Lembrem-se:
Keep your heels, head and standards high,
Vanessa S.

6 comentários:

  1. Os primeiros a estar contra a praxe, são os primeiros a usar a violência verbal e física para condenar os que apoiam. Falam de boca cheia. Eu estudo em Coimbra e há ruas onde sei que não posso passar trajada, porque arrisco-me a levar com um balde de lixívia em cima. Mas não, isto não tem mal nenhum, pois claro, condenar e julgar alguém por o que se leva vestido é perfeitamente aceitável e racional. Porque estar de preto e branco, com uma capa aos ombros, automaticamente nos transporta para a categoria de "a abater". Mas enfim, são as pessoas que temos e são feitas do mesmo material de quem usa a praxe para agredir e humilhar.

    ResponderEliminar
  2. O traje é sem dúvida um direito académico e muitas das pessoas que julgam, são pessoas que ou nunca andaram na faculdade ou então que julgam apenas, pelo que ouvem na televisão, limitam-se a acreditar em tudo aquilo que ouvem. Quando trajei pela primeira vez, senti um orgulho enorme e vi o meu sonho ser concretizado e muitas das pessoas não sabem daquilo que falam, não sabem o quanto é importante o traje. Eu fui praxada e fiz parte da praxe, tive um enorme orgulho de poder andar nas ruas a cantar as músicas da minha faculdade e de poder andar com os caloiros.

    ResponderEliminar
  3. Porque é que as pessoas têm de falar mal de nós só porque temos um traje vestido !!??, nós representamos instituições e tenho o maior orgulho em ir comprar o meu traje e andar com ele, para mim o traje significa : orgulho e o símbolo do estudante universitário. Trajarei com orgulho e honra à minha faculdade e ao meu curso !!!
    *excelente texto :)
    bjs

    ResponderEliminar
  4. Trajofobia, gostei do nome :)


    Sónia
    www.tarasemanias.pt

    ResponderEliminar
  5. Também sou vitima desses "olhares matadores"..
    Temos de arranjar motivos grandes o suficiente para chamar a atenção da comunicação social e mostrar que a grande parte da praxe não é aquilo que chega ao telejornal, há muito mais para além do que mostram, mas as coisas boas ninguém quer saber, não traz audiências!

    Vânia, Trajada sempre com orgulho :)

    ResponderEliminar